in Tablets

Motorola Xoom

Motorola demonstrou finalmente o novo Xoom tablet, com a esperança de destronar o iPad no segmento de tablets – provavelmente o segmento com o maior crescimento durante 2011.

O Xoom (por menos a versão demo) tem algumas “melhorias” comparado com o iPad. Não quero parecer sarcástico, mas fico incrédulo com o facto que estou perante um modelo que ainda não tem preço, data definitiva de lançamento, não podemos testar o sistema operativo – 1 ano depois do lançamento do iPad e provavelmente lançado após o iPad 2.

A comparação então parece fútil. Adiante. O Xoom tem (lé-se vai ter) duas câmaras, frente e verso, um maior ecrã com maior resolução e suporta Flash 10.1.

Mas a grande, e provavelmente única revelação, é Xoom vir equipado com o IOS da Google versão 3.0 – Honeycomb. Pareceu ser muito superior aos existentes noutras tablets mas pouco podemos saber além da demonstração demo em flash. Fica para saber a verdadeira usabilidade de velocidade do Xoom.

Está previsto o XOOM chegar ao consumidor no primeiro trimestre de 2011 em formato de 3G, podendo até o fim do ano fazer uma actualização para 4G.

CEO da Motorola, Sanjay Jha descreveu aos media a capacidade do Xoom, as suas funcionalidades, mas ficou muito para responder até porque Jha não permitiu quais quer perguntas no fim do evento (lançamento no CES).

Como todos os outros, este será “o mais competitivo produto no Mercado”. Motorola acaba de se desdobrar em duas empresas, Motorola Mobility Holdings e Motorola Solutions, completo com novo logotipo.

O mais estranho foi a falta de informação que muitos encararam como confirmação que não irá existir uma versão só com Wi-Fi.

Após ter mostrado vários vídeos, Jha acabou por revelar que o Xoom ainda estava em desenvolvimento e assim nenhum de nós pode ter a verdadeira experiência do Xoom – a forma como foi revelado no CES, quase sobe pressão, tudo indica que o Xoom não seguiu o plano de desenvolvimento.

A Xoom irá ter que ter muito mais que USB, Flash, HDMI e duas câmaras para fazer moça ao iPad e iPad 2, como o Galaxy da Samsung já percebeu.

Em termos de negócio par se, Apple já usufruiu do preço premium que normalmente acompanha os primeiros meses (ano) de lançamento. Mais, como o iPad não está ligado a nenhuma operadora, ao contrario de todos os outros, Apple não tem de pagar comissões a ninguém e assim mantêm margens que contribuem cada vez mais para o seu cashflow (acima de 50 milhões USD neste momento e a crescer cada dia).

httpv://www.youtube.com/watch?v=-84IlDoaqBk

Write a Comment

Comment