in Social Media

Huffington Post e AOL merger

AOL tem uma nova cara responsável pelo seu conteúdo, e bem precisa mesmo que a escolha não seja de unânime agrado. Arianna Huffington lanço em 2005 o Huffington Post, um site online com uma audiência comparável com qualquer dos maiores grupos de media não tradicional tal como o New York Times.

AOL tem sofrido com a sua diminuição de receitas de publicidade durante a sua mudança de portal como serviço de ligação à Internet para um portal de conteúdo.

Com a compra do Huffington Post por €220 milhões em dinheiro e não acções, a AOL espera “criar a próxima geração de empresa de media com um alcance global que interliga conteúdo com uma comunidade resultando em experiencias sociais para os seus consumidores” – ou seja mais tráfego  para vender mais publicidade.

Arianna Huffington criou o seu jornal online (é para todos efeitos um blog) em 2005 e tornou-se rapidamente uma das mulheres com mais poder nos media. Uma das suas características é a sua força e convicção, nunca temendo o confronto, como por exemplo quando enfrentou Leonard Downie Jr., responsável durante 17 anos pela edição do Washigton Post.

Como resposta à acusação que o Huffington Post era um “parasito a viver à custa de jornalismo produzido por outros.” A sua resposta:

“We need to stop pretending that we can somehow hop into a journalistic Way Back Machine and return to a past that no longer exists and can’t be resurrected.”

Tim Armstrong, AOL Chief Executive, comunicou a compra (Huffington Post utiliza a palavra merger) hoje, sendo que a Arianna Huffington irá ocupar o lugar de editor-in-chief do The Huffington Post Media Group que inclui agora Huffington Post, conteúdo do AOL que por si inclui Engadget, TechCrunch, MapQuest. Patch e muito mais.

Write a Comment

Comment