in Política

Congressman Cooper

É muito raro eu falar sobre política, por várias razões, mas a principal é que presentemente existe pouco a dizer – infelizmente. Mas nos Estados Unidos, um congressista, Jim Cooper, um democrata de Tennessee, falou não como político mas sim como cidadão.

A mensagem é simples mas a simplicidade e a relevância é o que a faz ainda mais importante de ouvir. Podia-se perfeitamente aplicar a Portugal. Era bom ouvir.

Cooper fez um pedido publico aos seus colegas para se comportarem de forma digna em vez de procurar mais votos. Podia-se entender que votos vêm do publico e o publico vota nos candidatos mais sensatos. Mas para isso teríamos que assumir que a política é transparente e honesta – algo ingénuo neste ponto em tempo. Cooper foi mais longe, pedindo a todos os políticos para colocarem o bem do seu País primeiro. Nada novo se não fosse as razões dada pelo presente clima em Washington.

“Some of us come here so used (to) the food fight that we want it to continue. And you’ll probably score brownie points if you make your partisan hit. You might even get a better committee. Well congratulations. You will not have solved a problem.”

Cooper decidiu embarcar neste discurso dado a frustração que é neste momento trabalhar no congresso dos Estados Unidos. Estão todos focados nos votos. Em vez de estudarem as possíveis soluções para os grandes desafios deste momento, preferem atacar uns aos outros.

A ironia é que Cooper recebeu os parabéns de quase todos – isto é todos aqueles que contribuem para esta autentica desgraça de serviço público. Os problemas são vastos e complexos. Sem um esforço unido, pouco irá mudar mas as consequências não são menores. Os Estados Unidos estão à beira de verem o seu rating perfeito descer, e isto independentemente de chegarem acordo no aumento do tecto da divida externa. Por menos não são considerados “lixo”.

Cooper aponto para o que todos nós, eleitores e espectadores, consideramos básico. Os políticos tem que aprender a falar um com os outros, aceitar diferenças de opinião, acabar com o cinicíssimo e o negativismo. Não ajuda que os media, na ausência da verdadeira noticia, procuram tornar tudo isto num circo com um toque de “O Ultimo A Sair”.

Mas as razões pelo qual Cooper acredita que chegámos a este ponto são interessantes. Cooper aponta para a existência de câmaras que faz com que a egocentrismo de políticos venha ao de cima – the showman. Outra razão pela discordância e ausência de civismo é o facto que os políticos hoje em dia não se conhecem pessoalmente nem tem nenhuma interação fora da arena política o que torna os insultos fácil. Na essência existe uma falta de patriotismo. Sendo nos Estados Unidos, o mesmo podia-se perfeitamente aplicar aqui em Portugal.

Cooper remata com uma famosa frase de Winston Churchill

“America can always be counted on to do the right thing – after it’s exhausted all the alternatives.”

Gostaria de ter mais fé no presente governo nas pessoas em que nós colocamos a nossa confiança e esperança. Que sejam humanos, que deixem o seu ego em casa. Que acreditem que ao fazer o melhor para os outros, vão fazer o melhor para o nosso país. Que haja no mínimo um político que tenha a coragem de dizer publicamente o que deviam todos ouvir. Fomos nós que nos colocamos aqui e somos nós que temos a possibilidade de enfrentar e vencer os difíceis desafios que enfrentamos.

httpv://www.youtube.com/watch?v=Tlbfcb6BaVA

Write a Comment

Comment