in Mobile

Sony Menos Ericsson

Sony Corp decidiu acabar com a sua parceria com a Ericsson no mercado de telemóveis – comprando a restante quota por €1.05 biliões de Euros. Desta forma, Sony está agora livre para incorporar toda a musica, vídeo jogos, entretenimento e outras propriedades que controla, nos seus smartphones.

E a surpresa? O seu objetivo é ir atrás do iPhone. Ao contrario da Apple, Sony detém de um vasto catalogo de conteúdo através de artistas como a Beyonce e Britney Spears, de filmes como o Spider Man e com a Playstation, jogos de grande consumo. Mas ter conteúdo pode não ajudar. Com a Apple, sem conteúdo, não existe nenhum conflito de interesses e assim permite que a empresa trabalhe com todos os estúdios, editoras e empresas que produzem jogos.

Um pouco obcecados, e cegos, pelo legado de Steve Jobs, Howard Stringer, Sony Chairman, explicou que este “é o inicio de algo que acho mágico” – mágico, magia, termos que muitas vezes utilizavam para descrever Jobs.

Nobuo Kurahashi, analista da Mizuho Investors Securities em Tóquio, explica que “Sony vai querer fazer a mesma coisa que Apple, satisfazendo as exigências do consumidor, interligando vários aparelhos com interfaces e sistemas operativos semelhantes – Smartphones estão prestes a tornarem-se a principal forma de conectar à Internet”.

As vendas de smartphones têm estado a crescer de forma impressionante desde que a Apple lançou o seu primeiro iPhone em 2007, tudo isto independentemente de o mercado de consumer electronics estar a abrandar significativamente.

A Sony tem agora todos os componentes para competir com a Samsung e Apple mas vai lhe sempre faltar a cultura interna para o conseguir fazer. O mercado já não suporta mais um copycat de produtos – para isso já tem a Samsung e ninguém sabe bem como isso vai acabar.

Para ter algum contexto sobre esta compra/venda – Sony Ericsson emprega 7,500 pessoas, vende 2% do mercado global de telemóveis e gere receitas de €6.3 biliões de Euros por ano.

Write a Comment

Comment