in SVC2LX

Paul Kedrosky

Paul Kedrosky é um investidor, orador, autor, media guy e empreendedor. Kedrosky, um viciado twitterer no Twitter e contributing editor para Bloomberg gere também um dos blogues sobre o sector financeiro mais populares.

Kedrosky sempre demonstrou a sua capacidade de entrar em mercados com rápido crescimento antes de arrancarem, saindo na altura mais acertada para conseguir o maior retorno.

Com mais de 50 investimentos (early-stage) em empresas, para o seu crédito, durante os últimos 15 anos,  iniciou o seu keynote com uma recomendação para quem quer ser empreendedor – não o faça. Isto porque a maioria falha e o processo é duro e não é para todos. Na realidade, o que Kedrosky quer chamar atenção é que a visão romântica que a maioria tem sobre o que é ser empreendedor, não tem qualquer fundamento.

Para a maioria dos empreendedores, não existe uma outra alternativa, pois o mundo não lhes completa e sabem, ou acreditam, que trabalhar para outros será bem pior que o risco inerente ao empreendedorismo. Empreendedores gostam de partir, de repensar, de desmontar e montar de forma diferente. Numa altura em que o nosso secretário de estado de empreendedorismo falou-nos das oportunidades em Portugal, parece oportuno a explicação de Kedrosky da ligação entre a vitalidade económica local e a mobilidade.

O primeiro exemplo que ele deu foi do impacto devastador na cidade de Detroit como resultado das dificuldades e de todos aqueles que saíram de Detroit ou para melhor ou para fugir à degradação da economia local.

Seguiu com o exemplo de Silicon Valley (Bay Area), mais parecido com  o segundo “gold rush” da Califórnia – todos aqueles que procuram lançar-se na Mecca de tecnologia. Mas as estatísticas demonstram que para cada uma pessoa que chega entusiasmado com o potencial de Silicon Valley, uma outra sai após ter falhado e não conseguir (ou querer) ficar lá mais.

Mas Kedrosky defende que não é preocupante esta mobilidade de pessoas que entram e saem de uma localidade, como é o caso de Silicon Valley. Esta constante reorganização e adaptabilidade à economia local é fundamental – o fluxo continuo da população demonstra as necessidades e aspirações de cada um – onde estão e onde querem estar. As pessoas deixam as suas paixões, conhecem outros e vivem experiências diferentes enquanto se mudam de um sitio para outro.

O pior que pode acontecer é o caso de West Virginia que não tem qualquer fluxo e toda a interação é meramente com os seus mais próximos vizinhos. Esta população começa a parecer-se mais com um organismo a consumir-se a ele próprio. Este é o pior ambiente para o empreendedorismo florescer. Algo que nos faz pensar sobre o nosso país.

Mas Silicon Valley, como não é um local mas sim um mindset, pode perfeitamente ser duplicado o seu sucesso como hub de inovação e empreendedorismo. O caso de Boulder County, nos Estados Unidos, representa o que pode acontecer quando um constante fluxo, a mobilidade, resulta numa vitalidade económica.

Nos últimos 10 anos, existiu um autentico boom de inovação atraindo assim os VCs (venture capitalists). Este movimento é curioso pois o próprio medo de falhar perante os nossos pares, leva-nos muitas vezes para longe de quem nos conhece, retirando assim o estigma de falhar. Não temos assim que nos preocupar com quem se preocupa connosco.

A disrupção tem estado, e continua, a estar omnipresente no mundo digital. Após ter nos mostrado o impacto da mobilidade na vitalidade económica, Kedrosky exemplificou as mudanças (leia-se disrupções) internamente na colectiva segurança da inovação de Silicon Valley. A mobilidade de talento de empresa tech para empresa tech, revelando algo preocupante para umas poucas grandes marcas.

Talent Flow

A imagem demonstra a relação de profissionais a mudarem de uma empresa para outra – a relação entre cada empresa. Verificamos rapidamente que a Microsoft e Yahoo têm estado a esvaziarem-se do seu mais importante asset – talento. Facebook tornando-se o favorito neste momento com uma relação 30.5:1 com a Microsoft. Já Steve Jobs concordava com Rupert Murdoch que quem criou a oportunidade da Apple retirar o mercado da música à Sony foi a própria Sony e nestes casos, são as próprias empresas e falta de mobilidade (leia-se estabilidade corporativa) vão contribuindo para a sua perde relevância num mundo em constante movimento.

Mas no mundo do empreendedorismo, os próprios VCs estão a conseguir iludir-se a si próprios, não percebendo que pouco fazem para melhorar a sua industria – pelo contrario, esqueceram-se de investir pouco optando pelos grandes investimentos com o acompanhado enorme risco. O problema reside no facto que quanto mais dinheiro investem num total, menos retorno estão a ter e a maioria parece não se aperceber, ou pelo menos reconhecer que, conforme Kedrosky, 2012 vai ver um decréscimo de 50% nos investimentos de VCs.

VC Retorno

O que Silicon Valley necessita, e que seja esta uma lição para nós, são vários pequenos investimentos independentemente do possível ou atual retorno de um ou outro startup. Os VCs, reconhecidos por muitos como os sábios do futuro, acabam agora por saber menos – basta só ver que são todos brancos e velhos. O futuro apanhou-os e nem deram por isso.

O custo de começar uma empresa, criar uma marca e lançar um produto e/ou serviço nunca esteve tão baixa e assim menos explicação existe para os valores quase pornográficos que são atirados aos fundadores da promessa. Se eles pedem 100,000, os VCs olham incredulamente, e oferecem 1 milhão.

No fim Kedrosky partilha alguns conselhos. O empreendedor não deve, nem pode, trabalhar para os VCs, outros investidores ou acionistas. Algo que deixou a maioria dos nossos visitantes perplexos foi o facto que a maioria dos Portugueses que falaram sobre os seus projetos, tinham todos um emprego e só estariam dispostos a larga-lo caso conseguissem investimento. Mas não é assim que um verdadeiro empreendedor pensa ou age. Não se trata de irresponsabilidade mas sim da vontade de vencer e receberam todos o mesmo aviso – ninguém vai investir em alguém que ainda não se atirou de pés e cabeça para nutrir do seu bebé.

 

Write a Comment

Comment

Webmentions

  • Não Perca Seedcamp e Silicon Valley Comes to Lisbon 14, 15 e 16 Nov | Tudo Mudou

    […] Silicon Valley Comes to Lisbon Keynote – Paul Kedrosky Da Kaufman Foundation […]

  • TudoMudou » Não Perca Seedcamp e Silicon Valley Comes to Lisbon 14, 15 e 16 Nov

    […] – Silicon Valley Comes to Lisbon Keynote – Paul Kedrosky Da Kaufman Foundation […]

  • Silicon Valley Comes To Lisbon de Volta 10 Maio |

    […] – A Não Perder- Silicon Valley Comes To Lisbon – Excede As Mais Altas Das Expectativas- Silicon Valley Comes to Lisbon Keynote – Paul Kedrosky Da Kaufman FoundationPara mais informações e para se registar, visite […]