in Google

Google Privacidade

Todas as vezes que Facebook, Google, Amazon e Apple, para não falar de outros, alteram as sua estratégia de privacidade ou os seus termos e condições, a Internet explode com protestos e avisos. Mas a escolha é fácil. O valor da privacidade está intrinsecamente relacionado com a oferta dos serviços gratuitos dos quais usufrui todos os dias.

Com as alterações recentes de que como Google trata os seus dados, vai agora a mesma inadvertidamente ter mais informação sobre si.

No passado, Google tem mantido politicas de privacidade para cada um dos seus assets online, sejam eles YouTube, Google, Google+, Gmail, Google Maps ou Google Earth. O principal objetivo com as recentes alterações prende-se com o desejo de uniformiza-las bem como produzir algo que reflita a atual integração de todos estes serviços. O resultado é simples: os diferentes serviços que Google gere vão todos ter a mesma informação sobre si, independentemente se os visita a todos ou não.

Danny Sullivan, editor da Search Engine Land, explica que “O exemplo clássico é que caso tenha estado a pesquisar skateboards no Google search, quando for ao YouTube, vão lhe popular a página com vídeos sobre skateboarding.” Provavelmente começa a ver o mais conceituado skateboarder noutros assets do Google, bem como páginas da Internet que utilizam o sistema de search da Google. Os anunciantes vão de igual forma usufruir da informação estando assim expostos, cada vez mais, aos mais relevantes utilizadores. E isso tem que ser bom para si como utilizador.

Mas Google dá-lhe a oportunidade de gerir estes interesses assumidos como seus, através da sua página dedicada à sua privacidade. Tem assim a oportunidade de alterar as palavras chaves bem como atualizar alguns dos seus dados, como a sua idade por exemplo.

O dashboard do Google fornece-lhe um índice de toda a sua informação nos diversos serviços que a Google opera. O Ads Preferences é a sua página dedicada à sua privacidade que inclui informação que Google assumo como sua, ou relevante a si.

Se por um lado tudo isto assusta algumas pessoas, está na altura de todos nós assumirmos que a utilização de serviços gratuitos tem afinal um custo, a nossa privacidade. Pode até sempre escolher não ser incluído no sistema que Google utiliza para profiling.

Cada asset do Google dá a possibilidade de optar por ser incluído, ou não, na utilização desta informação que Google irá sempre recolher de qualquer forma, como aliás, a maioria dos outros sites.

Se tudo isto lhe assusta, só tem uma coisa a fazer, viver 100% offline em vez de ir à Internet. Mas quando tiver a passear pelas ruas, não se esqueça de olhar para cima, pois está a ser filmado e pode ter a certeza que com as filmagens e a tecnologia de facial recognition, a sua privacidade está novamente a ser invadida. Este é se calhar o preço de se sentir seguro.

Write a Comment

Comment

Webmentions

  • Twitter Não Pode, Não Quer, Nem Nunca Quis, Salvar o Mundo |

    […] & condições especialmente no que concerne à mudança de estratégia de privacidade. Já aqui isso foi falado.Mas este fim de semana foi a vez do Twitter, um serviço de uma empresa privada que procura o […]

  • Lego Lança ReBrick, Uma Rede Social Para Os Seus Fãs |

    […] para efeitos de marketing. Esta transparência foi bem recebida por todos que percebem que nada na vida é gratuito.O site abriu ao publico em Dezembro mas até hoje não existiu nenhuma divulgação por parte da […]