in Tecnologia

Supermercado

Enquanto antigamente as compras eram efectuadas em vários dias e em várias mercearias (sim estou a falar do século passado), o que resultou foi concentrarmos as nossas compras num dia por semana, em geral, com toda a (in)conveniência resultante de tal prática.

Os hipermercados presentemente são um luxo, ou uma dor de cabeça, dependendo no objectivo. Mas cada vez mais a experiência está minada pelas acrobacias necessárias para desviar-nos das armadilhas dos marketers, isto se queremos comprar o que necessitamos e não o que nos convencem necessitar.

Um exemplo que funciona muito bem é o cartão do hipermercado. Um colchão insuflável a 79€ MAS onde recebe 50% desconto (aplicado no seu cartão de cliente). Uma promoção com duas vantagens. Uma na compra, ou seja, estamos a comprar algo que não necessitamos porque tem 50% desconto, e outra quando vamos a utilizar o cartão na seguinte visita ao hipermercado e qual o nosso espanto – retirar 37,50€ da conta – ainda bem que compramos o colhão que não necessitávamos. E não, eu não comprei o colhão, aliás, nem comprei qualquer outro insuflável.

Mas se por um lado os hipermercados têm conseguido inovar a múltiplos níveis, o carro das compras continua algo por explorar. Já foi adicionado uma base para podermos colocar a nossa lista de compras, mas algo mais high tech está certamente prestes a chegar. Mas atenção, muito que pareça ser algo bem intencionado para nos ajudar nas compras, vai inevitavelmente estar sempre preparado para nos incentivar a buy, buy, buy.

Whole Foods nos Estados Unidos estão já a prepararem-se para testar um novo conceito de carro de compras utilizando o sensor Kinect da Microsoft para Windows. O carro motorizado identifica o freguês e persegue-o pelo hipermercado fora, faz scan dos itens colocados no carro, retira-os da sua lista de compras e até lhe faz o check out quando quiser pagar. Confesso que a ideia de ser perseguido por um carro das compras no hipermercado fez me sorrir – imagino logo tudo que possa correr mal – ficar sem bateria, começar a seguir outro cliente, adicionar compras que não quis, etc.

A Microsoft demonstrou no seu HQ em Redmond, um protótipo ainda na sua fase inicial de concepção que está a ser desenvolvido pela Chaotic Moon, uma empresa em Austin, Texas. O projeto ainda têm apenas umas poucas semanas de existência mas demonstra a criatividade que surgiu desde que o Kinect foi lançado e a Microsoft alinhou na sua adaptação a inúmeras utilizações que a própria empresa nunca imaginou. Microsoft afirmou que mais de 300 empresas estão a desenvolver aplicações diferentes com base no sensor Kinect e na realidade o futuro vai usufruir da potencialidade que os sensores trazem às diferentes possibilidades inerentes aos dispositivos que já detém de tecnologia semelhante.

httpv://youtu.be/16GiO8EEVpE

 

In GeekWire

Write a Comment

Comment