in Tecnologia

Pete Cashmore

Para quem segue Mashable alguns anos, não é nenhuma surpresa que o (agora) maior portal de social media, tech, mobile etc. poderá estar prestes a ser vendido, e anunciado durante a maior conferencia SXSW. O comprador? CNN por mais de $200 milhões de USD:

Depois de passar 4 dias com Pete Cashmore e a restante equipa de Mashable no Mashable Connect 2011, percebi uma coisa. Mashable é verdadeiramente uma “família”. Durante os últimos 6 meses também me apercebi de outra – o conteúdo tem estado a mudar de algo especificamente virado para a industria e para quem segue as novas tendências, para um site muito mais abrangente com títulos que cada vez mais se destinam a aumentar views, muitos views.

Felix Salmon, da Reuters, fez um vídeo na SXSW, intencionalmente à frente de um logo da CNN, para dar a noticia, ou rumor, que de facto a CNN está em conversas avançadas para comprar a Mashable por valores “superiores a $200 milhões de USD”.

httpv://youtu.be/ajowmrii9RQ

Depois do vídeo, Salmon já confirmou que são várias as pessoas que estão envolvidas no processo que confirmam uma noticia em breve, provavelmente até já amanhã. Curioso é o silêncio do Mashable que agarra sempre este tipo de noticia.

Nem a minha pequena provocação no grupo privado da Mashable resultou em alguma reação – Pete Cashmore e/ou Adam Ostrow normalmente respondem logo, mesmo com a diferença de fuso horário com Nova Iorque e São Francisco.

Mas CNN parece o comprador mais provável pela relação que tem com Mashable e com Cashmore, o seu fundador Escocês. Não só a CNN está presente nos seus mais importantes eventos, como também ambas as empresas já partilham algum conteúdo.

AOL comprou TechCrunch e Huffington Post, SAY Media comprou a ReadWriteWeb e a GigaOm comprou a empresa mãe do site PaidContent. Esta mudança demonstra a opinião que as grandes empresas de media têm sobre o futuro do jornalismo/blogging. Na realidade o Huffington Post chegou a ultrapassar o New York Times e Mashable tem agora mais de 20 milhões de visitas únicas e 4 milhões de seguidores em social media.

AOL estava já interessado em comprar Mashable e tinha de facto feito inúmeras propostas, mas depois do que se passou com Tech Crunch, o ultimo local onde Cashmore iria permitir que Mashable ficasse era AOL. A sua equipa não iria sobreviver uma semana a levar com a Ariana Huffington, responsável por media da AOL.

Mas a acontecer, a noticia vai ter que ser dada rapidamente antes que comecem a pressionar Pete Cashmore e a sua equipa porque não dizem nada, nem escrevem nada. Afinal Mashable não é o principal portal sobre social media?

Write a Comment

Comment