in Facebook

Mark Zuckerberg Pijama

Depois de eu ter visto o filme The Social Network, onde Jesse Eisenberg (Mark Zuckerberg) é confrontado com a mais dura das verdades, percebi as dificuldades que ele iria ter no mundo corporate.  Na sala de conferencias num escritório de advogados, Marylin Delpy, uma estagiária, diz ao seu cliente: “You’re not an asshole, Mark. You’re just trying so hard to be”.

Anos depois, Facebook, que deveria ser um verdadeiro sucesso, está cercado de aldrabices, ganância, protagonismo e um novo extremo de hipocrisia. Mark Zuckerberg, que defende a partilha, acaba por partilhar nada.

Como é possível, uma empresa de tecnologia, que mudou o mundo, estar agora em apuros, não porque o seu produto ou serviço falhou, mas porque acabou por se vender ao mundo corporativo. Tudo indica que Mark Zuckerberg não é motivado por dinheiro, mas acabou por se associar ao sector financeiro.

Neste momento, deve estar novamente sentado sozinho, à espera que alguém lhe diga outra das mais duras das verdades – será que Mark Zuckerberg alguma vez vai ser feliz?

Zuckerberg traiu o seu único amigo, Eduardo Severin, co-fundador do Facebook e um verdadeiro amigo, aquele que nunca o questiona e assina seja o que for, sem pensar duas vezes. “Mark, I was your only friend. You got one friend”.

Zuckerberg traiu o seu único amigo pela promessa de fama e reconhecimento, não dinheiro, agarrando-se a Sean Parker, o rebelde que já tinha iniciado a destruição do conceito de direitos de autor com o seu Napster. A vulnerabilidade de Zuckerberg foi suficiente para se deslumbrar com este novo grupo de amigos (influências) – “I’m not going back to that life”.

Mais recentemente, o mesmo acabaria por acontecer, quando Zuckerberg se une aos abutres de Wall Street. Mais uma vez, não acredito que tenha sido motivado por dinheiro – Zuckerberg tinha agora atenção e respeito do mundo de negócios. Mas como Sean Parker, estes últimos acabaram por ser uma péssima influencia e os resultados foram desastrosos.

Na ultima semana, Facebook foi forçado a pagar um valor não divulgado, a 5 utilizadores que levaram a maior rede social do mundo, a tribunal, acusando-a de ter associado os utilizadores a marcas sem a devida autorização. Este tipo de publicidade, as Sponsored Stories, são fundamentais para o modelo de negocio do Facebook dado serem 3-4 vezes mais valiosas que outros anúncios. Mas esta perda envia uma mensagem clara para os 900 milhões utilizadores do Facebook – pode reviendicar os seus direitos e ganhar. Imagino um dia em que Facebook tem o azar de irritar a maioria dos seus utilizadores, como o fez no passado com a funcionalidade Beacon.

Na mesma semana, Facebook e alguns bancos que lideraram o processo do seu IPO, incluindo Morgan Stanley, foram processados pelos acionistas principais, que reivindicam que os acusados esconderam as baixas previsões de crescimento do Facebook, antes do IPO de $ 16 mil milhões de USD. Mark Zuckerberg foi incluído na lista de acusados.

Nas semanas antes do IPO, a maioria de analistas dos bancos que trabalhavam com Facebook para preparar o seu IPO, revelaram que a informação de executivos do Facebook era que neste segundo trimestre, as receitas iriam cair novamente. Esta informação não foi passada a todos os possíveis investidores nem foi divulgada publicamente. A seletiva divulgação desta informação, não só é ilegal, como também riria sempre dar aso a inúmeros processos. Zuckerberg, mais uma vez, acabou por ser levado nas promessas de fama e reconhecimento. O maior IPO de sempre, tornou-se rapidamente, o IPO mais contestado de sempre.

O sinal mais preocupante é o que se está a passar no mercado dos put warrants, onde os compradores lucram caso as ações do Facebook descem a baixo de um nível pré-definido, e neste caso o valor é tão baixo como $ 22 USD por ação. O sentimento é extremamente negativo e com cada dia que passa, são mais aqueles que estão dispostos a investir no fracasso do que aqueles que acreditam no futuro do Facebook.

Este segundo trimestre vai ser critico para o Facebook e os resultados esperados não são positivos. O impacto que mobile está a ter no Facebook vai certamente resultar num continuo decréscimo de receitas. A bolsa vai castigar Facebook, acabando por pagar por tudo que aconteceu nesta ultima semana.

“As more people gravitate to smartphones and tablets, they’re increasingly forgoing the desktop to the access the Web. Between 2008 and 2011, the percentage of U.S. adults who accessed the Internet from PCs daily grew to 62% from 54%. In the same period, the percentage of daily mobile Internet users rocketed to 26% from 4%, according to Forrester Research.

“People see this modality of consumption shifting from the PC to mobile,” said Matt Murphy, a venture capitalist at Kleiner Perkins Caufield & Byers. “On top of that, mobile feels like it’s much more the kind of wide open that anybody can win kind of arena.”

Wall Street Journal

Na realidade, Sean Parker até tinha razão “And that’s where you’re headed, a billion dollar valuation. Unless you take bad advice, in which case you may as well have come up with a chain of very successful yogurt shops.”  Mas o que Mark Zuckerberg agora necessita mesmo é do conselho de um melhor amigo, aquele que ele acabou por afastar. Prestes atingir um bilião de utilizadores e com um bilião de USD na sua conta, felicidade é agora o seu mais difícil desafio alcançar. Aliás, imagino que foi sempre isso que ele quis.

Write a Comment

Comment