in Opinião

Ricardo Sousa

Quando ouvi falar do Ricardo Sousa, fiquei curioso. Fui procurar online e acabei por ver um vídeo no YouTube. Fiquei indeciso – um jovem arrogante e/ ou ingénuo, ou alguém que estaria na realidade muito à frente dos seus pares? Confesso que fiquei mais inclinado para a ingenuidade – algo que certamente lhe iria passar com tempo (idade). Estava errado.

Mais recentemente, fui beber um café com o Ricardo onde falámos sobre a sua Switch Conference e os desafios para quem decide marcar a diferença. Encontrei um Ricardo muito diferente. Independentemente da sua idade, Ricardo Sousa fala com uma calma e conhecimento que nos obriga a ouvir e refletir. Um profissional que não tem medo do desconhecido e acredita no seu país e no facto que Portugal pode também ser um tech hub. A diferença é que o Ricardo age e contribui, pouco a pouco, ao contrario daqueles que promovem o empreendedorismo como a nova receita para tudo.

Por este motivo, deixo aqui uma sugestão. Leiam a carta aberta publicada pelo Ricardo no seu blogue. Mais que uma analise sobre a vergonha de um ministro que já não o deveria ser, Ricardo revela uma faceta invulgar, normalmente reservada aos grandes líderes de empresas.

Nos últimos dias recebi cerca de 10 e-mails de diferentes pessoas a perguntar “afinal o que se passava com o tal ministro que não tinha a licenciatura” – ou, melhor, a perguntarem se “tal é mesmo possível?”. Infelizmente, cá, é.

Aliás, estou certíssimo que o Sr. Miguel Relvas conseguirá arranjar qualquer emprego com as imensas relações profissionais que tem (afinal, terão sido essas relações – ou a experiência delas tiradas – a dar-lhe o canudo) e não precisa do cargo que ocupa neste momento. Porque Vª Exª não precisa do cargo e nós, Sr. Ministro, não precisamos de si – tem uma clara “solução” para esta face do problema.

Carta Aberta Sobre Miguel Relvas.

Write a Comment

Comment