in Social Media

As noticias desta semana vão se centrar certamente na aquisição do Tumblr pela Yahoo – o preço: mil milhões de USD. Esta é a maior aquisição desde que Marissa Mayer se tornou CEO da empresa que muitos dão como estagnada, independentemente das suas receitas altas.

Numa altura em que a maioria diz acreditar que conteúdo é a moeda da nova economia digital, esta compra valida a questão que “Every company is a media company”.

David Karp, CEO do Tumblr, compromete-se a ficar na Yahoo durante 4 anos e como contrapartida vai ficar rico, muito rico mesmo. Independentemente do interesse de outros, nomeadamente Facebook, Microsoft, Google e Twitter, Yahoo parece ter ficado na mesa sozinha, provavelmente pelo elevado valor, a negociar esta compra. Este é o novo preço de aquisição: mil milhões de USD.

Ao que parece, o interesse vem da possibilidade de criar uma rede de publicidade, uma das áreas em que Yahoo necessita de crescer para se manter relevante.

A publicidade, mais especificamente, native advertising, está a mudar online. Esta tendência começou pela Google com os seus Adwords, Twitter juntou-se com os seus promoted Tweets, rapidamente seguido pelo Facebook com os seus sponsored Stories. O objectivo é de conseguir fazer dinheiro com uma audiência que não quer pagar, muito menos ser interrompida enquanto consome cada vez mais media – fotografias, vídeo e áudio.

Outra tendência é a escala que múltiplos produtores de conteúdo conseguem ter, se forem agregados numa só plataforma. Estes nichos, altamente segmentados, acabam por ter um maior valor, dado o nível alto de interatividade com a sua comunidade, como se pode ver com o site português pplware, integrado no Sapo.

Este tipo de publicidade, nativa, funciona porque é aceite como parte integrante do conteúdo, da mesma forma que anúncios que demonstram ser contextualmente relevantes, acabam sempre por ter melhores resultados.

A vantagem de uma plataforma como a Tumblr, e ao contrário de promoted Tweets e sponsored Stories, é que a publicidade aparece onde deve e não de forma aleatória ou dependente no número de pessoas a promoverem os seus anúncios.

Yahoo continua a ser uma empresa com uma elevada dependência no seu modelo de display advertising, com uma forte componente de pesquisa, concorrendo diretamente com a Google. CPMs estão a baixar, e Yahoo está a ser afectada.

Se adicionarmos o fenómeno de mobile, e o crescimento e a consequente dependência no stream para anunciar (Facebook tornou-se no maior anunciante em mobile), ao decréscimo no retorno de valor que advém de publicidade em mobile (receitas da Google em mobile têm 40% do seu valor), verificamos que existe uma necessidade de reinventar a publicidade online.

A compra de Tumblr tem alguns desafios como o “problema” na elevada pornografia na sua rede. Tumblr, ao contrário de outras empresas online, não se tem preocupado com o crescimento em conteúdo para adultos, até porque o mesmo devolve page views e visitas únicas elevadas. Este problema poderá bem ser uma vantagem dado que a pornografia é uma industria “saudável”, pelo menos em termos económicos. O desafio será em como a Yahoo gere esta questão de imagem.

Uma coisa é ainda incerta, será que Marissa Meyer está a tornar Yahoo numa empresa de conteúdos ou serviços ou produtos? Yahoo chegou a este ponto de irreverência e irrelevância pela falta de definição do seu core business. A compra de Tumblr não resolve essa questão.

Imagem: DigitalTrends

Write a Comment

Comment