in Mobile

Mark Zuckerberg anunciou ontem que tinha decidido comprar a app de messaging WhatsApp, com 450 milhões de utilizadores ativos por mês, por $19 mil milhões de USD – $4 em cash, $12 em acções do Facebook e $3 em restricted stock units.

Esta compra, a maior de sempre do Facebook, acabou de criar mais dois bilionários em Silicon Valley – os cofundadores da WhatsApp – Jan Koum e Brian Acto.

Agora sim, dou o braço a torcer e acredito que Evan Spiegal, fundador da app SnapChat, fez lindamente em não aceitar os $ 3 mil milhões de USD que Mark Zuckerberg ofereceu pela sua empresa – peanuts comparado com a mais recente compra. Em minha defesa, e de todos os outros que acreditar que Spiegal teria cometido um gigantesco erro, todos subestimamos Mark Zuckerberg e aqueles que investiram no Facebook. É o que acontece quando o poder está numa só pessoa e mais uma vez, o sector financeiro parece estar a criar algo “too big to fail”. Duvido que os investidores estejam calmos e tranquilos com a expansão do Império de Zuckerberg.

Poderá ler mais aqui: Silicon Valley: Ilusão, Ganância e Ativos Tóxicos

A maioria da imprensa delicia-se com a imensidade desta compra e das possíveis razões – para reforçar a sua posição global; para ter acesso os adolescentes; e/ou para ter mais fotografias (quem diria que WhatsApp processa 500 milhões de fotografias por dia enquanto Facebook e Instagram conseguem só 405 milhões). Mas poucos tocam na irracionalidade, no risco e no facto que Facebook deveria ser analisado como um negocio, uma empresa, e não nos seus atos lúdicos de compras rápidas e grandiosas. Fail fast, dizem os Americanos. Espero que não tenha sido esta a ideia.

Nunca existiu uma empresa com o crescimento, avaliação, reach mundial e estrutura de controlo como o Facebook. Nenhuma. Todos as outras empresas, que ainda existem e estão saudáveis, tiveram um crescimento rápido mas não exponencial e nunca compraram a sua posição global. Google acabou por “devolver” Motorola a outros, mas não foi um mau negocio. A sua maturidade e foco, é que tem permitido a empresa a crescer enquanto dá espaço e manobra para sonhar. Vão às compras (YouTube) mas sabem como fazer dinheiro.

Mark Zuckerberg e Elon Musk têm algo em comum – a grandeza dos seus sonhos. Mas é ai onde acabam as semelhanças. Um resolve um problema global e cria o carro considerado o melhor de sempre, arriscando o seu próprio dinheiro enquanto o outro utiliza o dinheiro de outros para comprar o seu lugar à mesa. É que Mark Zuckerberg já provou inúmeras vezes a sua incapacidade de recriar o seu primeiro fenómeno – algo que até nem partiu dele.

Imagino os startups que criam apps a alterar as suas respostas a investidores de “procuramos um exit” para “procuramos um Facebook exit”. Se o primeiro já era irracional, o ultimo parece já o estado avançado de uma doença ainda sem cura.

“Facebook is like a reverse Amazon. If Amazon squeezes out prices through efficiencies and passes on the savings to everyone else; Facebook sucks in cheap capital through high valuations and spreads the inflation to the rest of the Silicon Valley machine.” In PandoDaily

“We’re excited and honoured to partner with Mark and Facebook as we continue to bring our product to more people around the world,” disse Jan Koum. Tradução: “Holy Shit! We just hit the jackpot! We’re in the imaginary world of printed money. Wait til I tell Father Christmas – he’ll be pissed.”

A compra em si não é grande surpresa – é o numero astronómico pago, para mais outra empresa que promove um serviço gratuito porque pode – até quando? Pois não é o $1 USD cobrado por ano a cada utilizador que vai tornar este investimento plausível, isto dado que já reiteraram que não vão ter publicidade – vale o que vale.

$19 billion is…

– 4x the market cap of BlackBerry
– Approximately one-third the market cap of Ford
– 2.8x the market cap of GroupOn
– Effectively equal to the market cap of The Gap
– Slightly more than Sony’s market cap (around 10 percent)
– Around three-fourths the market cap of Delta
– 7.5 Mark Cubans
– Almost precisely 1/3 of HP’s market cap
– 2 nuclear submarines
– 62 percent of Twitter’s market cap
– 76,000 trips to space on Virgin Galactic
– almost 60 percent of Sprint’s market cap
– 25 Instagram acquisitions

Brian Acton bem pode agradecer a Facebook 2x, tendo sido rejeitado em 2009.

Brian Acton Rejeitado Por Facebook

Write a Comment

Comment