in CollisionConf

Escrito em direto – desculpas pelos erros etc.

Semelhante ao ano passado, a Collision Conference arrancou com Paddy Cosgrove, que em poucos anos tornou a Web Summit na mais importante e relevante conferência de tecnologia na Europa com mais de 22,000 participantes de 110 países. Este ano alem da Asia, Paddy e a sua equipa ataca o mercado americano com Collision que na sua segunda edição já conta com 10,000 participantes de 88 países.

Os Irlandeses estão por todo o lado. Até a voz que pede aos participantes para se sentarem, não tem um sotaque americano. A equipa é a mesma e não correm o risco de abdicar do controlo. Eles estão a redefinir o conceito da conferência – como se fosse uma startup aprender e adaptar-se constantemente com base do feedback dos seus clientes – participantes.

Os pormenores são importantes. Até as lanyards, fitas que seguram o crachá, foram feitos à medida, mais curtas, para ter a certeza que enquanto falamos com uma pessoa não temos que olhar para baixo para ver o nome. Funciona.

Paddy convidou para o palco a outra pessoa que fez com que Collision acontecesse em Las Vegas. Tony Hsieh é um dos primeiros investidores e CEO da Zappos desde praticamente o primeiro dia. A sua prévia experiência num startup seu que foi vendido à Microsoft por mais de 240 milhões de USD, levou-o a dedicar-se à cultura da empresa desde o inicio e os resultados foram incríveis e não será de estranhar que a cultura interna continua a ser o principal foco acreditando que se tratarem do seu pessoal tudo o resto acontece.

Hsieh já tinha levado a Zappos para Las Vegas e quando souberam que a Câmara Municipal iria mudar par outra localização, Tony Hsieh decidiu investir no Downtown Project, a norte de Las Vegas.

Ao contrario de todas as outras grandes empresas que criam todas as condições para os seus colaboradores não terem que sair do seu campus, Hsieh decidiu que o contrario teria um maior impacto. Os seus colaboradores têm que sair da empresa para irem interagir com a comunidade – o que ele chama a criação de colisões.

E é com base nestas colisões e aparentemente a experiência de Hsieh na organização das festas, que o reuniu com o Paddy para criarem esta conferência.

Downtown Las Vegas é muito diferente agora. Lembro-me de vir visitar Freemont street e ter medo de andar nas ruas – o oposto do Strip onde todos os principais casinos existem. Hoje, é incrível ver a transformação, algo que se sente quando estamos cá, algo que é continuo e está acontecer à nossa volta. É provavelmente a melhor forma de viver a criação de um ecossistema de baixo para cima. O poder das colisões – quando as pessoas e ideias se cruzam e o resultado é verdadeiramente diferente.