Nativos Digitais

O Futuro Pertence Aos Nativos Digitais Mas Nem Todas As Empresas Estão Preparadas

Os nativos digitais são capazes de ver televisão, teclar no computador, enviar sms através dos smartphones, tudo ao mesmo tempo e alheados de tudo o que os rodeia. Pode cair uma bomba, que ficam impávidos no seu mundo. O futuro será dos nativos digitais? Eles estão em todo o lado sem se perderem.

Nativos Digitais

Os nativos digitais são capazes de ver televisão, teclar no computador, enviar sms através dos smartphones, tudo ao mesmo tempo e alheados de tudo o que os rodeia. Pode cair uma bomba, que ficam impávidos no seu mundo. O futuro será dos nativos digitais?

 

Eles estão em todo o lado sem se perderem. São definidos como seres capazes de desenvolver multitarefas. Adoram instalar e experimentar novas aplicações, jogos, participar em fóruns, escrever em blogues, pesquisar de site em site e ainda manter a rede social ligada ao chat. Nas Redes Sociais interagem uns com os outros e marcam encontros para se conhecerem pessoalmente. Estes jovens nasceram depois dos anos 80.

Agora começam a nascer os chamados imigrantes digitais, a nova terminologia que se refere a todas as pessoas que não nasceram na era digital, mas que estão a aprender a lidar com a tecnologia.

A Expressão nasceu em 2007 por Marc Prensky, pensador e criador de jogos digitais. Este termo de Nativos Digitais está a ser estudado como um fenómeno que pode causar impactos, inclusive no mercado de trabalho.

Hoje, esta geração, até aos 25 anos de idade, representa já 50% da população ativa, mas em 2020, com o crescimento demográfico e a inversão da pirâmide demográfica, eles serão 80% da população mundial.

Se quisermos entender esta geração, precisamos entender e perspectivar o futuro. Vivemos atualmente um conflito de gerações, isto é, está aí a geração Y, uma geração que se desenvolveu numa época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade económica. Os pais, não querendo repetir a escassez e o abandono das gerações anteriores, enchem-nos de presentes, atenções e atividades, fomentando a sua autoestima.

Os jovens estão a crescer em ação, estimulados por atividades, fazendo tarefas múltiplas. Acostumados a conseguirem o que querem, não se sujeitam às tarefas subalternas de início de carreira e lutam por salários ambiciosos desde cedo e com bastante flexibilidade e instabilidade.

Uma das suas características atuais é a utilização de aparelhos de alta tecnologia, como smartphones de última geração, computadores com acesso à internet que se transportam no bolso. Tudo muito diferente do que é característico das gerações anteriores, em que o telemóvel apenas serve para receber e efetuar chamadas.

Enquanto grupo crescente, têm-se tornado o público-alvo das ofertas de novos serviços e na difusão de novas tecnologias.

As empresas destes segmentos visam atender esta nova geração de consumidores, que constitui um público exigente e ávido por inovações.

Preocupados com o meio ambiente e as causas sociais, têm um ponto de vista diferente das gerações anteriores, que viveram épocas de guerras, lutas e de desemprego. Nascidos numa modificação de visões políticas e existenciais, a chamada Geração Y cresceu com um crescente individualismo de extrema competição.

Os jovens dos 11 anos ao 20 anos são tipicamente representantes da geração de Nativos Digitais.

Assim como a maior parte dos seus amigos, eles estão com naturalidade pelas redes sociais, usam o vídeo chat do Facebook, smartphone, têm vários mails, blogues e participam em comunidades. Eles constroem o próprio mundo e serão o futuro e a produtividade tão desejada do amanhã.

(Imagem: Broadbanding The Nation)

Write first comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.